Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), “segurança do paciente se trata da redução do risco e danos desnecessários a assistência em saúde até um mínimo aceitável, ou seja, é a redução de atos inseguros nos processos assistenciais e uso das melhores práticas para se alcançar os melhores resultados ao paciente”.(1).

Nesse contexto abordamos a Segurança Medicamentosa, considerada uma questão complexa e desafiadora, que de acordo com os dados do Instituto para Práticas Segura no Uso de Medicamentos (ISMP), os erros de medicação, de forma geral, correspondem a 30% dos erros que ocorrem em hospitais, sendo uma das principais causas de danos associados ao cuidado em saúde em todo o mundo.

Conteúdo bloqueado

Para continuar lendo preencha o formulário abaixo.

Loading...